O Encontro Nacional de Pesquisadores em Gestão Social consiste em um fórum anual de pesquisadores, estudantes e todo o conjunto de profissionais atuantes na área a fim de discutir temáticas em torno deste campo de saberes e práticas interdisciplinares, promovendo a apreensão, prospecção, discussão e difusão de conhecimentos teóricos e práticos inseridos na Gestão Social. A cada ano, busca-se aprofundar um tema já presente nos debates e que esteja em consonância com a instituição e região que o acolhe. Com isto, já se passaram nove edições repletas de experiências, construção mútua de saberes, expansão de fronteiras e acima de tudo, contribuindo para a consolidação dos construtos que permeiam esta temática, a partir da articulação entre os diversos núcleos de pesquisa sobre o tema e, especialmente, permitindo a inclusão da comunidade acadêmica e profissional nesta discussão interdisciplinar emergente. Aos poucos, é possível avançar e criar relações cada vez mais intrínsecas com a natureza interdisciplinar da Gestão Social, tendo hoje a compreensão que facilmente se aproxima de um ideal de  gestão significativa e situada em seus processos dialógicos, mobilizadores, democráticos, inclusivos e emancipadores, contrapondo-se cada vez mais a processos gerencialistas tradicionais, isolados, burocráticos, privatistas e mercantis. No ano de 2018, em sua décima edição, convidamos a todos para pensar a gestão como um processo que se dá a medida que atores sociais diversos se mobilizam, se conectam e criam formas inteligentes de aprendizagem ativa e desenvolvimento conjunto para organizações públicas, privadas ou sem fins lucrativos.

Partindo disso, a escolha do tema “Diálogo como Resistência: Gestão Social, Crises e Futuro das Democracias” evoca o cenário atual de fragilização dos pilares da democracia e, sobretudo, a análise crítica acerca deste fenômeno que estamos vivenciando. Aliado a esta mesma conjuntura de comprometimento das bases da democracia se verifica uma redução da opção pelo diálogo, da possibilidade de exposição do contraditório e da afirmação de arenas de participação para diversas manifestações.

Outrossim, este tema nos fará refletir o quanto o momento social e político do Brasil e em algumas partes do Mundo requerem atenção aos contornos do Estado de direito, tão ameaçado em suas instituições. Para “revertermos as expectativas que, neste momento, caminham em direção à intolerância, ao radicalismo, à violência e à negação aos direitos de proteção social se torna urgente fortalecermos práticas democráticas e nos engajarmos nos diversos segmentos da sociedade. Isso é o que nós, que compomos a Rede de Pesquisadores em Gestão Social, pretendemos praticar e refletir em Juazeiro do Norte/CE, entre 20 e 24 de maio de 2018, no X ENAPEGS.

css.php